الاثنين، 31 مايو، 2010

OS OPOSTOS SE ENCONTRAM - Reflitemos, eleitores...

OS OPOSTOS SE ENCONTRAM ...
... nem que seja nas páginas dos jornais !

Para nós a leitura assídua dos jornais é uma espécie de um lugar onde os opostos se encontram. Notícias boas, outras nem tanto... Noticias péssimas, mas não tão péssimas... que você analisa, assimila, deglute de conformidade com seu estado anímico do momento.

Você xinga ou aplaude os governantes e os políticos, mais xinga que aplaude mas, afinal, de quem é a culpa ? Nossa não é, certamente. Cidadãos anônimos que somos, obscuros, inexpressivos, que nos limitamos a pensar ( pelo menos enquanto nos permitem fazê-lo – alô, alô Estadão...), que damos mas não pedimos votos ( pois não avalizamos promissórias frias.. ), que continuamos tentando sobreviver, pagando nossas dívidas ( que nossos credores persistem em não perdoar... ) , que temos como bicho de estimação aquele invertebrado verdinho e simpático chamado “Esperança”, que junta as mãozinhas em postura implorativa, quando a pegamos; este mesmo bichinho que nos faz acreditar que dias melhores virão. ( alô, alô, aposentados do INSS...).

Mas, voltando à co-existência dos opostos
(ou voltando à vaca quente - ou fria ? como diziam os menos jovens que nós... ) o Estadão de hoje nos traz duas epígrafes co-existentes no mesmo caderno (Nacional A-6 e A-7).

A A-7, sob o título “Política não é para quem tem ficha suja” menciona uma entrevista concedida pelo Procurador Regional Eleitoral de São Paulo, Dr. Pedro Barbosa Pereira Neto, externando suas louváveis convicções, constantes de trechos que consideramos importantíssimos e que, se praticados, tornariam nosso país uma grande nação, onde ser honesto deixaria de ser vergonhoso e o ser desonesto seria repulsivo. Vamos aos trechos da entrevista:-

“ Para procurador eleitoral, “déficit” de cassações e de
punição a corruptos desestimula candidatos honestos no País.”

Maior preocupação – “ É a falta de efetiva punição àqueles que violam a lei eleitoral.”

À pergunta:- “Quando a regra dos fichas sujas deve valer ?”
Respondeu:- “ A vida pregressa, como requisito de inelegibilidade de um político, está na Constituição desde 1993 afim de proteger a probidade administrativa. O princípio da presunção da inocência tem aplicação em aspectos ligados ao direito penal. A lei contra fichas sujas não tem finalidade casuística. Política não pode ser coisa de gente com ficha suja.”

À pergunta:- Como vê a mídia nas eleições ? Respondeu:-
“ A lei não impõe mutismo absoluto no ano eleitoral. As pessoas podem se manifestar. Uma coisa é candidato proibido de pôr outdoor na rua. Outra é alguém dar entrevista e falar bem ou mal de um candidato. Está dentro da liberdade de manifestação e da liberdade da mídia.”

A A-6, sob o título “ Por voto, vale até apoio constrangedor...” fala por si, demonstrando que “ muita água passará embaixo da ponte...” até que as coisas comecem a melhorar . Por enquanto a A-7 e a A-6, são somente a tese e a anti-tese lado a lado, qual o encontro dos “opostos” !....

Álvaro Ramos.

ليست هناك تعليقات:

إرسال تعليق