السبت، 3 يوليو، 2010

DIZER-SE QUE A ESCOLHA DE ÁLVARO DIAS FOI IMORAL É UMA TEMERIDADE...( Infantilidade, pelo menos...)

DIZER-SE QUE A ESCOLHA DE ÁLVARO DIAS
FOI IMORAL É UMA TEMERIDADE ( infantilidade, pelo menos...)

Dizer-se que a escolha de Álvaro Dias foi imoral, com ser uma temeridade é, ainda, uma irresponsabilidade, totalmente deslavada, que veemente refutamos, inclusive por vivermos em um país onde se tornaram habituais atos de corrupção, falcatruas as mais diversas, mensalões; atos secretos; aposentadorias milionárias; desvio de verbas de merenda escolar; exageros nos saques da verba indenizatória, desvio de recursos da “previdência” para outros fins que não aqueles aos quais se destinam, compras superfaturadas, inclusive desviando recursos da merenda escolar, obras superfaturadas; entendimentos e conchavos nos bastidores da política, dessa mesma política transformada de “arte de governar” em “arte de roubar...”

Dizer-se que “ Álvaro Dias foi Lula desde criancinha...” , consideramos um recurso depreciativo utilizado à falta de outro com alguma consistência. A realidade é que, ainda moço, no exercício do terceiro mandato que lhe foi conferido por cerca de 2.600.000 eleitores, nada houve em detrimento de sua reputação, ilibada, sem dúvida. O repto é:- se conhece algo, denuncie ...

O parlamento brasileiro se tornou uma espécie de “ capitania hereditária”, patriarca, filhos/as, netos/as, genros, namorados da neta, todos mamando nas tetas do governo. Se houve algum entendimento entre Álvaro e Osmar Dias, será que se “que se quebrou a virgindade da política ?!..Entendimentos inter-políticos não são habituais ? Não foi o Osmar quem “ puxou o tapete do “irmãozinho”. Foi Serra quem o fez, pouco depois de declarar na mídia que manteria a candidatura de Álvaro à “VICE”. Pressionado pelo “DEM”, partido que vai perdendo a expressão de quando era PFL, “deu uma” de Mercadante, ao “ renunciar a renúncia”, quando dos lamentáveis acontecimentos que arrasaram com a imagem do Senado da República.

Se Alvaro Dias “foi Lula”, que mal há nisso ? Muitos o foram, muitos deixaram de sê-lo e muitos o serão, é a dinâmica da política. Materialmente novo, AD começou muito jovem sua vida política, o que sempre ocorre. Carlos Lacerda, político convicto de direita, militou no comunismo quando jovem e em face dos zique-e-zagues que lhe surgiam, lembrava que “ toda história tem três versões, a sua, a minha e a verdadeira...”

Entendo que Serra errou pelo menos em dois pontos:- procrastinou quanto à definição de seu “vice”, não consultou a base aliada e lançou AD. Precipitou-se, sob pressão do DEM e de não se sabe mais quem, escolhendo um nome desconhecido, sem experiência e vivência para enfrentar Michel Temer ( por quem não morremos de amores...) mas possuidor da mais alta experiência, “phd” em todos os meandros da política. Será que Índio da Costa tem gabarito para debater com Temer ?... A “parada” é dura e só os fortes sobrevivem !

Assim, a não ser que Serra volte atraz receamos que ele, sem o perceber, transformou-se em “cabo eleitoral” de Dilma. O alerta vermelho está aceso !...

Infiro que seu artigo e nossa contestação não são confidenciais, o que significa que publicaremos as duas matérias em nosso blog:-

www.soramramos.blogspot.com
Esperando que, em natural recíproca, façam o mesmo em relação ao nosso texto.

Foi um prazer e uma honra poder “ dialogar “ com os Amigos.

Álvaro Ramos
CIDADANIA ONLINE
addi@addi.com.br
Fones 11 3437-1891 6279-0273

“Esperteza demais engole o esperto” Coluna Carlos Brickmann/02.07.2010.

ليست هناك تعليقات:

إرسال تعليق